Ano Jubilar em Honra a São Clemente



    Todos os filhos espirituais de Santo Afonso Maria de Ligório, espalhados por todo o mundo, celebram com particular alegria, São Clemente Maria Hofbauer que, com justiça, é considerado o propagador ilustre da Congregação do Santíssimo Redentor. Em 2020, serão lembrados os 200 anos de sua morte e para isso, a Congregação Redentorista decidiu celebrar um Ano Jubilar para vivificar o espírito desbravador deste missionário.


    A abertura do Ano Clementino acontece no dia 15 de março de 2020, quando se recorda a data de seu falecimento, a partir da Província de Viena-Munique, na Áustria, e atinge todas as províncias no mundo, que são convidadas a preparar ações para lembrar a grande contribuição deste santo redentorista para a congregação e também para toda a Igreja.


    No Brasil, cada unidade redentorista vai celebrar a seu modo, com tríduos celebrativos e missas. Procure sua paróquia ou santuário Redentorista e participe da abertura do jubileu!


História de vida


    São Clemente nasceu de pais piedosos e honestos em Tasswitz, cidade da região da Morávia, em 26 de dezembro de 1751. O seu pai morreu muito cedo; a mãe, cuidadosa, se encarregou da educação do filho e querendo, antes de tudo, ensinar a quem o menino devia confiar o seu próprio futuro, o conduziu diante de uma imagem do Crucificado e lhe disse: “Meu filho, de agora em diante, ele será o teu pai e cuidado para não praticar aquilo que Ele não quer”.


    Estas palavras ficaram impressas no coração de Clemente, e logo ele emitiu este juramento: Evitar a todo custo o pecado e praticar aquilo que mais agradasse a Deus.


    Para concretizar estes desejos, abstinha-se dos jogos e de todos os tipos de distrações; jamais deu espaço à ociosidade, rejeitando atrações do mundo. Dominou o seu corpo, rezou com assiduidade, praticou o jejum e participou frequentemente dos sacramentos e da Santa Missa.


    Ele foi percebendo aos poucos o caminho que tinha para percorrer, vivendo de acordo com a vontade de Cristo. Em vista disso, ainda que se esforçasse para aderir estreitamente a Cristo a quem escolheu como modelo, aos 20 anos não pode perseverar nessa mesma escolha que havia feito, ainda que fosse um caminho santo.


    Desejando contemplar a realidade divina, por duas vezes retirou-se para a solidão como eremita; por duas vezes se dirigiu a Roma, a fim de visitar as basílicas dos apóstolos, retornando depois aos estudos literários e às severas disciplinas, mas em nenhum lugar encontrou a plena vontade de Deus.


     Por fim, com a idade de 32 anos, pela terceira vez se dirigiu a Roma buscando estudar a teologia e as ciências sagradas em sua primeira fonte. Depois de alguns dias, levantando-se bem cedo, ao raiar do dia, por uma inspiração divina decidiu se dirigir à igreja onde ouvisse os primeiros sinos da aurora chamando para a Santa Missa. Ouviu então os sinos da igreja de São Julião ao Monte Esquilino. Dirigindo-se para lá apressadamente, encontrou os religiosos imersos na oração. Perguntou então a uma criança quem eram ao que lhe respondeu: “São sacerdotes da Congregação do Santíssimo Redentor e um dia você fará parte deste grupo”.


    Clemente acolheu estas palavras como se fosse uma profecia enviada por Deus. Apresentando-se então ao superior daquele colégio, pediu e obteve licença para ser acolhido entre eles que à época eram também chamados de “Ligorinos”.


    Concluído o noviciado com notas máximas, em 1875 emitiu os votos religiosos na Congregação, aplicando-se depois com diligência aos estudos de teologia, até ser ordenado sacerdote.


    Santo Afonso predisse ser ele aquele que haveria de propagar o Instituto fora da Itália. A profecia se concretizou. O Núncio Apostólico de Varsóvia havia pedido missionários para a região da Curlândia, e Clemente, com a autorização da Santa Sé dirigiu-se à Varsóvia. Ali, durante sua permanência erigiu uma casa religiosa e exerceu o seu ministério apostólico com grande diligência e proveito das pessoas.


    Expulso de Varsóvia devido à complicada situação política, não desanimou e nem deixou de semear a Palavra de Deus, propagando a Congregação Redentorista na Alemanha, na Suíça e na Romênia.


    O seu grande mérito, porém, deve-se à intensa atividade apostólica que desenvolveu em Viena, acordando a fé que estava adormecida nas pessoas, reformando os costumes e a conduta moral pública, de tal modo que a cidade passou a viver uma vida mais santa, deixando-se guiar por uma nova luz.


    Clemente havia terminado sua vida como uma corrida agradável a Deus, havia conservado a fé, de modo que lhe estava reservada a coroa, que o Senhor, justo juiz, lhe concedeu no dia de sua morte, o dia 15 de março de 1820.


    As datas oficiais do Catálogo dos Membros da Congregação Redentorista sobre a vida de São Clemente:


Nascimento: 26 de dezembro de 1751

Morte: 15 de março de 1820

Profissão Temporária: 9 de março de 1785

Profissão Perpétua: 9 de março de 1785

Ordenação sacerdotal: 29 de março de 1785

Declaração das heroicidades das virtudes: 1876

Beatificação: 29 de janeiro de 1888

Canonização: 20 de maio de 1909

Declarado Patrono de Viena: 1914


Autor: Pe. Inácio de Medeiros, C.Ss.R , com fonte do Índice latino di Pe. Claudio Benedetti, 1903 – tradução do Pe. Antonio Panariello, 1998. Fonte: A12

2 visualizações
CONGREGAÇÃO REDENTORISTA
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Ícone

@provinciadorio

ENTRE EM CONTATO:

WhatsApp Vocacional

31 99979-3523

Tel: (31) 3226-9595

contato@vocacionalredentorista.com.br

RECEBA NOSSAS NOVIDADES

© 2020 - Todos os direitos reservado - Província do Rio