Jesus é nosso alimento e nosso amigo

“Doravante considero tudo como desvantagem, diante da grandeza de conhecer o Cristo Jesus, meu Senhor. Por ele eu aceitei perder tudo e tudo considero como lixo, [...]. Irmãos, não penso que eu já tenha alcançado o prêmio e só uma coisa me interessa: esquecendo-me do que fica para trás, vou em frente, lançando-me com todo o empenho, e corro para a meta para conseguir o prêmio que Deus nos convida a receber lá em cima em Cristo Jesus”

(Fl 3, 8.13-14).




Sou o Luís Fernando Silva, seminarista redentorista. Estou no terceiro ano de formação, morando na Comunidade Vocacional Dom Muniz, em Belo Horizonte (MG), cursando a Filosofia. Ao vivenciar o mês de setembro, e de uma forma especial, pois completa-se 50 anos que o mês da primavera é dedicado à Bíblia, esta passagem, particularmente, mostra o real seguimento a Jesus Cristo, e por isso, me move na vocação.


Ser um jovem que almeja viver o mesmo espírito de Santo Afonso é, primeiro, ter uma experiência íntima com o próprio Deus, que não aconteceu de forma extraordinária, mas no ordinário da vida: desde brincando de celebrar missas, passando pelas celebrações de minha paróquia de origem, nas procissões do Senhor dos Passos na Semana Santa, como na vida ativa da paróquia. Cada momento foi importante para que eu pudesse dar uma resposta a Deus na família redentorista. Me recordo das Santas Missões em meu bairro, no ano de 2005. Ficava animado com as dinâmicas que aconteciam, bem como com o andor de Nossa Senhora Aparecida do meu setor e o hasteamento do cruzeiro.


O tempo foi passando, e no dia 10 de dezembro de 2016, na ordenação diaconal de um amigo meu, comecei a sentir algo que incomodava o coração, algo que eu já havia sentido, porém, não havia dado a minha resposta. No ano seguinte, iniciei o acompanhamento vocacional na Diocese de Oliveira. Após um ano de encontros, acompanhando o jubileu dos 300 anos de Nossa Senhora Aparecida, o incomodo no peito apareceu de uma nova forma: missionário redentorista, será?


Após mandar mensagem para a Pastoral Vocacional, iniciei os encontros por correspondência em agosto de 2018 com a Província do Rio, bem como os encontros presenciais, e em 2019, fiz o estágio vocacional, entrando para a formação neste mesmo ano em Juiz de Fora (MG).


Ao longo da caminhada, como nos diz o Apóstolo São Paulo, não podemos perder nossa meta, a nossa preocupação de todo dia: Jesus, ele que é nosso alimento, nosso amigo. Com empenho e dedicação, viver cada segundo como se fosse o último, doando cada serviço a Ele, para que, no final da carreira, possamos contemplá-lo face a face, no prêmio da perseverança.





Fonte: Portal A12 | Secretariado Vocacional Redentorista | Província de SP

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo