Pensamentos sobre a vocação



Nossa vocação seja ela qual for é uma iniciativa divina.

Toda vocação é um mistério do Amor que chama.

Toda vocação é uma expressão da misericórdia infinita.

Toda vocação é fruto de um desígnio de amor e salvação.

Nossa vocação não é nossa, pertence a Deus e ao povo.

Nossa vocação é dom gratuito da bondade de Deus.

Nossa vocação é resposta de amor ao Amor que nos amou primeiro.

Nossa vocação requer uma resposta generosa de amor.

Nossa resposta é um compromisso de amor a serviço do AMOR.

Nossa resposta vocacional requer a mesma gratuidade do chamado.

Nossa vocação é resultado de dois sonhos, dois desejos: o de nosso coração que busca a comunhão Infinita na sua plenitude, e o de Deus que deseja contar conosco em sua obra de salvação.

Nossa vocação pertence à Igreja, e se realiza por ela, para ela e nela.


Nosso ministério não é nosso, é de Jesus Cristo e da Igreja pelo povo.

Nosso ministério na Igreja, passa, necessariamente, pelo mistério pascal da paixão, morte e ressurreição do Senhor. Sem cruz não há Cristo, não há ressurreição, não há cristianismo, não há missão.


É pela nossa participação diária no mistério da paixão e morte de Jesus, que geramos vida de Deus para a comunidade. É exatamente a lógica da cruz que o Senhor anunciou e experimentou Ele mesmo: “ Se o grão de trigo não cai em terra e não morre, ele continua só um grão de trigo, mas se morre, então produzirá muito fruto” , João 12, 24.


Nosso ministério tem a fonte de sua fecundidade é no mistério da cruz do Senhor. O dinamismo pascal continua na vida do discípulo e da comunidade que toma o caminho do Mestre: amar para matar o ódio, viver para servir, morrer para gerar vida. E viver para a vida eterna.


Dom José Aristeu Vieira

Bispo de Luz (MG)

Fonte: CNBB

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo