Qual a diferença entre IRMÃO e PADRE?



Todos somos chamados por Deus para realizar uma Missão. Nossa vocação comum é a consagração realizada no Batismo. Isto nos torna missionários!


O Documento de Aparecida nos confirma que a adesão a Jesus Cristo e o encantamento por sua pessoa fazem de nós “Discípulos – Missionários a serviço da Vida”. Há várias formas para esta resposta: padre – religioso (a) – matrimônio – Leigos (Exemplo: Catequistas); vocações específicas que celebramos na Igreja.


Vamos explicar a vocação do padre e o irmão, assinalando o que existe em comum nesta vocação e o que difere no serviço que realizamos. Entenda!


As congregações religiosas masculinas, em geral, têm Padres e Irmãos. Quando a vida consagrada surge na Igreja com diferentes carismas, ela reúne homens e mulheres para responderem às necessidades do mundo encarnando-se nestas limitações humanas. Por isso, a presença da Vida Religiosa em todos os tempos é profética e torna-se um sinal de esperança.

A Congregação do Santíssimo RedentorMissionários Redentoristasé constituída por padres e irmãos. A Congregação Redentorista precisa de confrades irmãos para que “não se perca a beleza do seu carisma”. Ser religioso é um chamado de Deus, um dom! Nossas Constituições – regras da nossa vida – dizem: “pela Profissão Religiosa, todos os Redentoristas são verdadeiramente MISSIONÁRIOS” (Const. 55) e (Const. 02) afirma que “somos um corpo missionário”, todos somos chamados a partir dos nossos dons e pelo trabalho em equipe/comunidade realizar nossa Missão.

A Missão do Consagrado, isto é, do Religioso Irmão Redentorista é, em primeiro lugar, ser memória Viva da Fraternidade, promovendo-a. Desse modo, o Irmão Missionário está completo para realizar sua Missão, podendo estudar, fazer cursos superiores em algumas áreas específicas e de acordo com suas habilidades, para colaborar nas necessidades da ação evangelizadora da Congregação e da Igreja. No passado, muitos Irmãos não tinham possibilidades para o estudo, mas, diante desta dinâmica do SER presença, responderam com muita qualidade e espírito de santidade à Missão que foram chamados.

O Capítulo Geral de nossa Congregação, realizado no final de 2016, na Tailândia, reafirmou que a Profissão Religiosa é a base de nossa identidade Redentorista. Por isso, enquanto Missionários e no carisma que nos une numa família religiosa, somos todos iguais – Padres e Irmãos!

:: Leia também - Qual a diferença entre frei, irmão e padre?

A diferença entre estas duas opções é a questão ministerial, o serviço – sacramento da Ordem – que recebe o Sacerdote. Este sacramento é qualificante, mas, não torna o presbítero mais consagrado. Por este Sacramento ele irá presidir a Eucaristia (consagrando pão e vinho), em nome da Igreja nos dará a absolvição dos pecados e ungirá os doentes. Aqui está a diferença entre o Padre e o Irmão. Por opção, o Irmão Missionário Redentorista, não recebe este Sacramento.

Comparativamente, podemos entender: como o avião que precisa de duas asas, assim a Congregação precisa do Padre e do Irmão; o corpo humano para bom funcionamento consta de dois pulmões, assim a Congregação precisa do Padre e do Irmão.

Uma pergunta curiosa que sempre aparece é: ... “sendo assim, o Irmão pode casar?”... e, a resposta é – por causa da Profissão Religiosa, temos os mesmos compromissos, os votos /conselhos evangélicos: castidade, pobreza e obediência; tanto os Padres como os Irmãos. Portanto, o Irmão não pode casar.

Agradecemos esta vocação presente na Igreja. Fica o convite para você, JOVEM, e a certeza de que: Vale a pena consagrar-se a Deus, como IRMÃO MISSIONÁRIO REDENTORISTA.

Afinal, como já nos lembra Jesus no Evangelho: “Entre vós, todos sois IRMÃOS”... (Mt 23,8). Sejamos irmãos, no sentido pleno da palavra, para sermos mais fraternos.

Pe. José de Lima Torres, C.Ss.R

Missionário Redentorista


Fonte: a12.com


551 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo