Redentoristas: 289 Anos de Fundação




A Congregação do Santíssimo Redentor completa, no próximo dia 9 de novembro, 289 anos de fundação. Os Redentoristas formam uma família com uma missão clara: levar a Palavra de Deus os pobres. Como seguidores de Jesus Cristo e discípulos de Santo Afonso Maria de Ligório, Pai fundador da Congregação, os Redentoristas continuam, com afinco, essa obra evangelizadora dedicada aos excluídos da sociedade.

Criada em 1732 por Santo Afonso Maria de Ligório, em Scala (Itália), a Congregação é dedicada aos mais pobres e fragilizados. Sua fundação foi a resposta de Santo Afonso de Ligório ao chamado que ele ouviu de Jesus por meio dos pobres, aos quais decidiu se dedicar nesse carisma.

As origens da Congregação estão calcadas na força da Eucaristia, na escuta profunda dos sinais de Deus na História, por meio da meditação e da oração, e na simplicidade: a pobreza dos cabreiros e o “humilde oratório da hospedaria”.

Afonso quando intui a Congregação ele não a faz sozinho. Ele rezou profundamente e se cercou de pessoas de Deus que o confrontaram e o provocaram fazendo vir à luz toda esta obra. A obra de Afonso tem o sopro do Espírito Santo, a delicadeza dos dedos de Deus, a inocência e a simplicidade dos cabreiros, a sensibilidade de Maria Celeste Crostarosa e a fidelidade do Irmão Vitor Curzio que permaneceu com ele e não deixou a comunidade e a obra morrerem! Daí em diante, o Espírito fez surgir Geraldo, Clemente, Neumann, Donders, Stangassinger, Sarnelli, Seelos, os nossos mártires e tantos outros confrades, sacerdotes e irmãos, que são santos no cotidiano.

CHEGADA AO BRASIL

Era um domingo, 02 de julho de 1893, quando chegavam os primeiros Redentoristas holandeses ao porto do Rio de Janeiro (RJ). Pe. Matias Tulkens e Pe. Francisco Xavier Lohmeyer, fundadores da Congregação do Santíssimo Redentor no Brasil, chegaram ao país após uma viagem de 25 dias a bordo de um navio vindo da Alemanha. A pedido do bispo de Mariana, Dom Silvério Pimenta, o Pe. Tadeu os recebeu, acolhendo-os na Casa de Misericórdia, sob os cuidados das Irmãs Vicentinas.

Após um dia de descanso, os pioneiros fundadores viajaram do Rio de Janeiro para Juiz de Fora (MG), onde foram recebidos pelo Pe. João Sabino Las Casas e ficaram hospedados com o vigário, Pe. Venâncio Café. Prosseguiram viagem, no dia 06 de julho, com destino a Ouro Preto (MG), onde foram acolhidos pelo Pe. Afonso Castaldi, lazarista. De lá, seguiram para Mariana (MG) e foram recebidos pelo bispo diocesano, Dom Antônio Maria Correia de Sá e Benevides e seu auxiliar, Dom Silvério Gomes Pimenta. Ficaram algum tempo no Seminário de Mariana para aprender a nova língua.

Em princípios de 1894, os dois redentoristas se fixaram em Juiz de Fora. No dia 26 de abril deste mesmo ano, chegaram mais Redentoristas para a primeira comunidade redentorista no Brasil: Padres Geraldo Schrauwen, Teodoro Helsen, Afonso Mathysen e os Irmãos Gregório Mulders, Filipe Winter e Doroteu van Leent. Em fevereiro de 1895, começou a construção da residência da comunidade (Convento da Glória), terminada em abril de 1899, mas já em 25 de outubro de 1895, os padres e irmãos se mudaram para o convento inacabado. A Igreja da Glória foi construída de 1920 a 1924, sendo solenemente consagrada no dia 24 de agosto de 1924, por D. Helvécio Gomes de Oliveira.

MISSÃO DOS REDENTORISTAS

São muitas as missões pelo mundo realizadas por membros desta Congregação nesses quase três séculos de serviço a Deus, por meio da Igreja Católica e do acolhimento aos menos favorecidos. A evangelização acontece através de Paróquias, Santuários, Missões Populares, Meios de Comunicação Social, Obras Sociais.

Atualmente, os Redentoristas estão presentes em cerca de 80 países, com aproximadamente seis mil missionários atuando em todos os continentes.

Hoje, no Brasil, são aproximadamente 600 missionários, distribuídos em nove unidades: Províncias do Rio de Janeiro (MG, RJ e ES), São Paulo, Porto Alegre, Goiás e Campo Grande; e Vice-Províncias de Recife, Fortaleza, Manaus e Bahia.

Os Redentoristas são também especialmente dedicados a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e foram nomeados pelo Papa Pio IX em 1865 como guardiões e missionários do ícone desse título, que está consagrado na Igreja Redentorista de Santo Afonso de Ligório, em Roma.


Fonte: http://www.provinciadorio.org.br/

40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo