Rezando com o Bem – aventurado Gaspar Stanggassinger

Oração Inicial

 

A – Nosso Estatuto 014ª recorda-nos de que “é preciso suscitar no meio dos fiéis vocações missionárias que continuem em toda parte a obra da Congregação”. Invoquemos a Santíssima Trindade traçando sobre nós o sinal da cruz.

 

T – Em nome do Pai...

 

A – Que a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Filho Redentor; o amor do pai Eterno, nosso Criador; a luz e força do Espírito Santo, Santificador; sob a intercessão de... (nome do Santo ou beato do dia), estejam convosco.

 

T – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 

A – Santo Afonso dizia: “Se queremos luz, ele veio para iluminar-nos. Se necessitamos força, ele veio para fortalecer-nos. Se buscamos perdão, ele veio precisamente reconciliar-nos. Se queremos amor, ele veio inflamar-nos”. Então, se queremos continuar o Redentor, devemos pedir ao Pai Eterno que nos envie santas e variadas vocações.

 

T – “Sem mim nada podeis fazer”, nos diz Jesus!

 

A – Nosso confrade colombiano Rafael Prada, disse que “onde há fé e amor apaixonados pela pessoa de Jesus Cristo, as vocações ao sacerdócio e à vida consagrada florescem e se multiplicam”. Onde vamos, porém, encontrar forças para viver essa realidade?

 

T – Na escuta atenta e orante da Palavra de Deus. Na conversão de vida e fé. No amor pela missão. Na pregação simples e profunda. No exemplo de vida e de oração, bem como em toda boa forma de evangelizar.

 

A – Oremos: Ó Pai Eterno, vós apresentais à vossa Igreja modelos sempre novos de vida cristã; fazei que imitemos o ardor missionário de (nome do Santo ou o Beato do dia) para que desperte em nossos jovens o desejo pela vida religiosa consagrada como redentoristas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

T – Amém!

 

Canto

 

Para início de conversa

 

A – “Será que o que eu quero é mesmo o que Deus quer de mim?”. Esta pergunta foi o ponto de partida de Gaspar Stanggassinger para o ingresso na vida religiosa. Foi o cerne de sua vocação.

 

T – “Os santos têm intuições especiais. O que é importante para mim, que não sou santo, são as simples verdades eternas: a Encarnação, a Redenção e a Santíssima Eucaristia”.

 

A – Gaspar precisou vencer primeiro a si mesmo, sua dúvida. Teve de aguardar a permissão, não muito contente, de seu bispo diocesano. Da mãe, obteve logo o apoio. Partiu para seminário redentorista em Gars sem a bênção do pai.

 

Ter vida acertada e feliz não é fácil. Requer muita reflexão, oração, entrega de vida, esvaziamento de si e tomada firme de decisão. Como não foi capaz de decidir sozinho sua vocação, ser sacerdote e missionário, Gaspar recorreu à Maria pedindo que o ajudasse a discernir o desejo que trazia consigo desde criança.

 

T – “É vontade de Deus que eu me torne um redentorista. Pois bem, que Deus me ilumine e me ajude”.

 

A – Ó Deus, que enriquecestes o sacerdote e bem – aventurado Gaspar Stanggassinger, com o dom de anunciar a fé com alegria e de formar com esmero os candidatos à vida religiosa, concedei-nos, por vosso auxílio, proteção e estímulos, nos tornar verdadeiros cooperadores do Redentor. Por Cristo, Senhor Nosso.

 

T – Amém!

 

Recordar a vida

 

A – Gaspar Stanggassinger tinha 23 anos de idade e nem era padre ainda quando vieram os primeiros redentoristas alemães para o Brasil: Goiás e São Paulo. Queria muito plantar aqui em terras brasileiras as experiências que fizera com Jesus Redentor desde os oito anos de idade quando dos primeiros contatos com eles em sua terra natal.

 

L1 – Contrariando a regra, nosso beato vivia em um rico lar de agricultores alemães. Desde criança, o espírito de formador o acompanhava. Ele reunia seus irmãos e outros jovens para pregar sermões a eles e instruí-los na fé cristã mesmo quando seu pai o mandava “plantar batatas”. Disciplinado, estabeleceu para si um rigoroso programa de oração. Decidiu, então, ser religioso. O sonho dede a infância era ser missionário no Brasil. Não se concretizou. Assim que ordenara padre foi ser formador. Gaspar, contudo, “não se separou dos homens, mas, na íntima companhia de Cristo, guiava-os para Deus”, disse João Paulo II em sua homilia de beatificação.

 

L2 – Porém, sua passagem nesta terra foi breve, desfeita por uma peritonite. Morreu jovem, com 28 anos de idade e apenas quatro anos como missionário redentorista. A curta trajetória de vida foi um sonho que não morreu. Como um pequeno grão selecionado e semeado em solo fecundo pelas mãos do Criador, germinou dentro de si para frutificar em cheias espigas de trigo na lavoura dos seus formandos e sucessores em missão!

 

Escutar a Palavra

 

A – Vamos ouvir aquele que nos escolhe, chama e nos envia em missão. Aclamemos a Palavra do Pai Eterno cantando.

 

L1 – Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas (Lc 9, 57-62). Palavra da Salvação.

 

T – Glória a vós, Senhor.

(momento de silencio, meditação, contemplação).

 

Iluminar a vida

 

A – A memória facultativa da vida de Gaspar, celebramos a 26 de setembro. Nosso confrade Pe. Orlando Gambi afirma “que não há campo de trabalho apostólico onde o redentorista não possa ser missionário, mas por força do seu carisma ele deve ser missionário de preferência entre os pobres”.

 

T – “Seguindo os passos de Cristo, é que chegarei aos pobres”.

 

L1 – Aprendemos com Gaspar que abrir mãos de um projeto pessoal em detrimento de uma missão maior, não é retroceder, e sim dar plenos cumprimentos à vontade do pai Eterno em nossa vida.

 

T – “O apóstolo sabe que não pertence mais a si mesmo. Quer a glória de Deus e das almas”.

 

L2 – A disponibilidade e abertura de coração para acolher, ajudar e orientar a seus formandos fez Gaspar um formador exemplar e reconhecido na Congregação, tanto que esta pediu sua canonização.

 

T – “Desejo acolher a todos de bom grado, de outro modo, a minha fé é vã. É Deus quem me envia a todos”.

 

L3 – Outra característica de Gaspar que nos serve de incentivo e é digno de aplausos, é seu amor à Congregação. Tornando-se um missionário redentorista, manteve no coração o entusiasmo e a admiração que sentia por eles e o exemplo de vida comunitária e fraterna.

 

T – “O que é que você tem com os redentoristas?”, pergunta a mãe. “Quero conhecer a árvore que dá tão bons frutos...”, responde o filho.

 

L4 – A oração foi uma dádiva de Deus na vida de Gaspar. Incansavelmente, ele buscava forças na íntima e profunda relação de amor que estabeleceu com o Pai Eterno.

 

T – “Só o homem que ora, se conhece a si mesmo e chega até Deus”.

 

Canto

 

Partilha da Palavra

 

A – Eis um grande pensamento de Gaspar Stanggassinger: “Vocação é ir aonde Deus nos conduz, e a maior felicidade consiste em fazer o que Deus quer”. Estamos vivendo um período muito importante de nossa História: a reestruturação. A princípio, abrir-se ao diferente que se nos apresenta, causa em nós insegurança e o medo do desinstalar-se. Sabemos quão desafiador é o novo, o desconhecido em nossa vida.

 

1 – A exemplo de Gaspar que buscava ser missionário no Brasil, mas foi ser formador, recebemos com abertura de coração as indicações pastorais que nossos superiores nos propõem?

 

2 – O que precisa ser feito para que nossos formandos aprendam, inclusive de nós, este despojamento de Gaspar Stanggassinger?

 

Praticar a Palavra

 

A – Cada um sabe as dificuldades e limitações que trazemos dentro de nós. Todavia, obstáculos existem para ser vencidos. “Com a graça de Deus não há bem que o padre não possa realizar”, disse Gaspar. Vamos procurar superar em nós o medo e outros sentimentos do coração que nos impedem de sairmos de nós mesmos e ir ao encontro daquele a quem Deus, por amor, envia a nossos cuidados.

 

Rezar a palavra

 

A – Vamos fazer nossas preces na certeza de que o Pai Eterno nos ouve, e como pai amoroso e misericordioso, nos atenderá em nossos pedidos.

 

L1 – Pai Eterno, daí força, coragem e a luz do alto para que nossos padres cumpram com dignidade a missão eles confiada, rezemos:

 

T – Senhor, por vosso amor, atendei-nos!

 

L2 – Ó Deus, fazei que nossos formadores, a exemplo do Beato Gaspar, sejam pacientes, amorosos, bondosos e instruam com firmeza e disposição para a missão a eles confiada, rezemos:

 

T – Senhor, por vosso amor, atendei-nos!

 

L3 – Iluminai e dai sabedoria aos animadores vocacionais de nossa congregação para que possam ajudar bem nossos vocacionados a fazerem um bom processo de discernimento vocacional, rezemos:

 

T – Senhor, por vosso amor, atendei-nos!

 

L4 – Ajudai-nos a todos nós, padres e irmãos, a sermos verdadeiras testemunhas de coerência de vida e incentivo para nossos vocacionados, rezemos:

 

T – Senhor, por vosso amor, atendei-nos!

 

A – Nós vos pedimos, que aprendamos do Bem – aventurado Gaspar Stanggassinger a sermos sempre disponíveis para a missão, e que nos dediquemos inteiramente a servi-lo com amor e intensidade de vida pastoral. Por Cristo, Senhor nosso.

 

T – Amém!

 

A – A devoção a Maria, Gaspar aprendeu de sua mãe. Desde pequeno peregrinava em romaria com a família para o santuário mariano em Duernberg para venerar a Mãe de Deus. Rezemos:

 

T - Mãe do Perpétuo Socorro, nós colocamos em vossas mãos as nossas vidas, para que nos acompanheis noite e dia na difícil tarefa de vivermos como Jesus nos ensinou. Fazei que nossa comunidade de fé seja testemunha de Vosso Filho no amor ao próximo, na caridade e no anúncio da Palavra de Deus. Abençoai-nos e fortalecei-nos em nossa caminhada, hoje e sempre, e nunca permitais que nos separemos de Jesus, nossa Luz Verdadeira. Assim seja! Amém!"

 

Benção final!

Please reload

Destaque

Segundo Noviciado Redentorista

January 22, 2020

1/10
Please reload

Notícias recentes

Please reload

MÍDIAS SOCIAIS

 

Notícias

Acompanhe todas as notícias do Secretariado Vocacional Redentorista