O serviço como missão

Os Irmãos Redentoristas Pedro Magalhães, C.Ss.R., e Geraldo Pereira,C.Ss.R., falam de como é a atuação deles nas Casas. Irmão Geraldo Pereira Neves é natural de Cipotânea (MG) e atualmente mora em Curvelo (MG), na Basílica de São Geraldo. Já irmão Pedro Magalhães nasceu em Araçuaí (MG), no Vale do Jequitinhonha e reside no Rio de Janeiro (RJ) na Igreja de Santo Afonso. Acompanhe a entrevista.

 

Como é a preparação vocacional para a formação do irmão? Quais são as etapas?
Irmão Pedro: Durante muito tempo, a formação do Irmão foi bastante limitada. O estudo da Filosofia e da Teologia não são exigências canônicas para que o candidato se torne Irmão. Havia também o temor de que se o Irmão fizesse os mesmos estudos que o Padre, este não quisesse ficar “apenas Irmão”. Isso levava a um pensamento errôneo de que os menos capacitados poderiam ser Irmãos. Hoje, o mundo exige que todos se preparem cada vez mais e os candidatos a Irmão já têm a oportunidade de fazer também os estudos filosóficos e teológicos. Hoje, na Província do Rio de Janeiro, a formação é conjunta e as etapas da formação são quase comuns a todos. As etapas: Comunidade Vocacional Santo Afonso (CVSA), Comunidade Vocacional São Clemente, Filosofia (CVSC), Síntese Pessoal das Experiências Substantivas (ANO SPES), Noviciado e Comunidade Vocacional Dom Muniz, Teologia (CVDM). 

Irmão Geraldo: Naqueles tempos, era bem diferente do que se vê hoje, íamos para os conventos, ficávamos lá durante um período como experiência e assim até chegar ao noviciado, depois do noviciado íamos para outras de nossas Casas de formação para um período de maturidade.

 

Como percebe a vocação do Irmão? 

Irmão Pedro: A vocação do Irmão é completa e possui um lugar muito especial dentro da Igreja e é vital para as congregações religiosas. Causas históricas levaram à diminuição dos Irmãos em todas as Congregações, sobretudo as clericais. Hoje, muitos esforços vêm sendo feitos para incentivar a vocação do Irmão: Congressos Latino-Americanos e caribenhos, Encontro Nacional de Irmãos e elaboração de materiais de promoção vocacional. 


Irmão Geraldo: Comigo foi por influência do meu vigário e dos Redentoristas que por lá passavam. Naquela época, na minha cidade teve uma reforma na igreja e as pessoas saíram com a imagem de São Geraldo roça afora, e eu me entusiasmei com aquilo, mas não sabia que ele era Irmão, via aquela roupa preta e achava aquilo bonito, depois é que fui saber.

 

Quais são as atividades que os Irmãos assumem? 

Irmão Pedro: Na Congregação, os Irmãos assumem uma variedade muito grande de serviços, de acordo com as suas aptidões: Missão, Meios de Comunicação Social, Formação, direção de Casas de Retiros, administração de Obras Sociais e departamento das Províncias, além de serviços internos das Comunidades onde vivem. 
Irmão Geraldo: É bem amplo, um dos exemplos é a administração, pastoral, pra quem gosta, doméstico; no meu caso gosto bastante desses tipos de atividades.

 

Qual o papel do Irmão Redentorista na sociedade? 

Irmão Pedro: O papel do Irmão na sociedade é o mesmo de todo cristão consciente, que assume a sua condição de cidadão e busca a construção de um mundo mais humano e justo. Sua presença nos Meios de Comunicação, Missão, Trabalhos Pastorais e Obras Sociais é oportunidade para estar junto das pessoas e testemunhar a fraternidade, a acolhida e a simplicidade de vida. 


Irmão Geraldo: Sempre me dei com o povo e eu cuidei de um cemitério, e isso me ajudou muito porque aquele povo chegava chorando muito dos velórios e nós, Irmãos que cuidávamos daquele lugar, procurávamos consolar, mostrar que a vida não termina aqui.

 

A vocação de Irmão tem a visibilidade que deveria ter, para que os jovens tenham interesse por ela?

Irmão Pedro: A crise da vocação para o Irmão, na verdade, reflete a crise da Vida Religiosa. O padre que pertence a uma Congregação é também um religioso. Como já disse, anteriormente, muitos esforços vêm sendo realizados para que os jovens se interessem também pela Vida Religiosa não Ordenada. É claro que o Padre tem mais visibilidade em função do seu ministério. O que falta, na verdade, é mais promoção vocacional que valorize o ser religioso em primeiro lugar. 


Irmão Geraldo: Creio que sim, até porque estamos no Ano Vocacional, parece que toda a Congregação, principalmente aqui no Brasil, as Províncias estão dando muito foco nisso tudo.

 

Como é o trabalho para cultivar os dons de cada indivíduo, de forma que essas características possam ser usadas dentro das Casas e nos trabalhos missionários? 
Irmão Pedro: A Congregação Redentorista oferece uma formação consistente e dinâmica que favorece ao candidato o desenvolvimento de seus dons e talentos. A primeira Comunidade (Santo Afonso) tem como lema: “crescer e florescer como gente” oferecendo ao jovem condições para desenvolver suas aptidões e exercitar a criatividade. 
Irmão Geraldo : Depende muito do dom de cada um, cada pessoa tem dom para uma determinada atividade, o formador percebe melhor qual o verdadeiro dom daquele determinado indivíduo e o ajuda a cultivá-los cada vez mais, é mais ou menos assim que acontece.

 

Durante a formação, que tipo de trabalho é feito para que os Irmãos não se sintam “menores” que os padres, já que as atividades que realizam são mais internas? 
Irmão Pedro: A formação não acentua a diferença entre os dois estilos de vida. Creio que falta uma conversão às nossas Constituições que garantem a igualdade entre todos os confrades, quando afirma que “o que define o ser missionário do Redentorista é a profissão religiosa”.


Irmão Geraldo: Menor não seria uma forma de ‘traduzir’ isso, trabalhamos muito de igual para igual e sempre foi assim, pode ser que no passado tenha havido alguma coisa nesse sentido de diferença, mas na minha percepção é um trabalho muito igualitário.

 

Acha que embora as atividades dentro das Casas e paróquias dependam de todos (padres e irmãos), a formação para o  Irmão deveria ter alguma particularidade? Ou já existe esse cuidado? 


Irmão Pedro : Isso depende do que cada um busca e sonha. A Congregação apoia qualquer iniciativa dos confrades, desde que esteja de acordo com o carisma e a espiritualidade da Congregação. 


Irmão Geraldo: Existe sim, ainda maior que todas as outras modalidades, cada vez se ampliando mais.

 

Qual é o trabalho que desenvolve hoje na Congregação?

 
Irmão Pedro: Atualmente, vivo na Comunidade Redentorista Santo Afonso. Além da administração econômica da Casa, sou vice-diretor da Obra Social Santo Afonso e São Geraldo e acompanho alguns grupos pastorais e movimentos.


Irmão Geraldo: Cuido de uma porção de “coisinhas insignificantes”, compras, cuidar /zelar pela casa, de tudo um pouquinho.

 

Deixe uma mensagem que motive quem tem interesse em seguir essa vocação.
Irmão Pedro: Minha mensagem é de esperança e de alegria por pertencer à Família Redentorista. Se você, jovem, busca uma maneira de servir a Deus, radicalizando ainda mais o seu batismo, procure discernir a sua vocação; conheça a o jeito de ser Redentorista e experimente esta espiritualidade tão rica e atual para nossos dias.

Please reload

Destaque

Segundo Noviciado Redentorista

January 22, 2020

1/10
Please reload

Notícias recentes

Please reload

MÍDIAS SOCIAIS

 

Notícias

Acompanhe todas as notícias do Secretariado Vocacional Redentorista