Estágio coroa acompanhamento vocacional

Coordenador do Estágio Vocacional Redentorista, Padre Américo de Oliveira, C.Ss.R., é categórico ao afirmar que o encontro “marca positivamente a história do missionário da Província do Rio de Janeiro-Minas Gerais-Espírito Santo”. Realizado sempre no início de janeiro, em Juiz de Fora, o Estágio, segundo ele, "coroa o processo de acompanhamento vocacional inicial, sendo a ‘porta de entrada’ para uma de nossas Comunidades Vocacionais”.

 

Eleito Superior Provincial em outubro passado, ele guarda muitas recordações do período de Estágio Vocacional: “Marcou profundamente a minha vida. Participei do Estágio Vocacional Redentorista em 1985. Quem coordenava o processo nesse tempo era o Padre Dalton Barros de Almeida, C.Ss.R. Foi um momento muito enriquecedor e possibilitou-me um profundo discernimento vocacional. Nesse estágio participaram também o Pe.Vicente, Pe. Viol e Pe. Cláudio. O Estágio Vocacional é um momento de graça na vida de todo jovem que dele tem o privilégio de participar”.

 

Padre Américo explica que o Estágio está sendo conduzido por uma equipe de padres, irmãos, seminaristas e psicólogas. Conforme destacou, “uma equipe eficiente e muito sintonizada, que busca possibilitar o jovem a se conhecer e a se desenvolver em todas as dimensões: humana, espiritual e intelectual”. Como sacerdote, é o 18º estágio que participa, sendo que em nove deles foi o coordenador geral. “Agora, com alegria, passo a coordenação para o Pe. Alfredo, jovem sacerdote que irá prosseguir esta missão tão bela e desafiante de acompanhar e trabalhar na formação dos futuros Redentoristas. É um trabalho desafiante, exigente; mas que vale a pena”, concluiu.

 

Irmão Pedro Magalhães

Depois de quatro anos, no Rio de Janeiro, o Irmão Pedro Magalhães Gomes, C.Ss.R., está participando do Estágio Vocacional Redentorista que se realiza no Seminário da Floresta, em Juiz de Fora (MG) desde domingo, dia 4. Seu objetivo é ser presença boa de testemunho como consagrado e apoio para os jovens vocacionados. Ele ressalta a importância do Estágio como "momento em que os candidatos entram em contato mais profundo com eles mesmos, fazendo um mergulho interior e resgatando as experiências vividas, com uma releitura de sua própria história".

 

Irmão Pedro afirma que a partir de agora os jovens também começam a conhecer melhor a estrutura e a vida Redentorista, sabendo mais sobre a figura do irmão, do padre e do seminarista. Para ele, é o instante em que passam a perceber “nosso jeito de expressar, acolher e estar junto”. Conforme observou, o grupo ali reunido “é bastante tranquilo e demonstra uma abertura muito grande para viver o estágio”. Assim, sua expectativa é de que sejam colhidos bons frutos, externando sua alegria de participar: “É muito bom retornar e fazer parte desta história formativa da Província”.

 

 

Padre Edson demonstra satisfação com a semana de trabalho

O Estágio Vocacional é a continuidade do processo de acompanhamento, depois que o jovem passou pelos encontros ao longo do ano anterior. Esta é uma fase de aprofundamento. De acordo com o coordenador vocacional, padre Edson Alves, C.Ss.R., os nove vocacionados que participam desta etapa foram selecionados por demonstrarem certa aptidão à vida religiosa, mas ressaltou que tudo depende da observação que é feita pela equipe de trabalho ao longo desta semana de atividades e encontro de cada um consigo mesmo.

 

- Por meio das dinâmicas, reflexões e retiro, os jovens trazem as novas perspectivas. Conseguem assim fazer uma parada mais concreta e visualizar as opções da vida. Eles entram em um processo de amadurecimento, que terá continuidade nas casas de formação.

O sacerdote se mostrou muito satisfeito com o andamento dos trabalhos e destacou que mesmo sendo uma equipe totalmente nova, está bastante coesa e entrosada. Padre Edson salientou que o Estágio Vocacional é importante também para os padres e seminaristas que conduzem as atividades: “É uma oportunidade de pararmos e pensarmos na caminhada que fizemos até o momento. Nos motiva a fazer o nosso discernimento”.

 

Padre Alfredo Avelar 

Padre Alfredo Viana Avelar, C.Ss.R., afirma que o Estágio Vocacional vem sendo remodelado e está sendo uma novidade a forma como está sendo conduzido durante esta semana. Pela primeira vez coordenando o Estágio, ele fala com alegria em poder participar desse processo.

- É muito agradável perceber os avanços dos jovens, ver as mudanças e perceber um renascimento, o surgimento de uma vida nova, e provocar neles uma nova visão.

Padre Alfredo salientou que a referência para a vocação deve ser o encantamento por Jesus Cristo.  

 

 

Apoio importante dos seminaristas

O seminarista Gleison Souza Menezes, de 21 anos, natural de Coronel Fabriciano, compõe com os companheiros de formação da Comunidade Vocacional São Clemente a Equipe Externa do Estágio Vocacional. Ele explica que o papel do grupo de formandos é cuidar da infraestrutura do Estágio e também dar apoio a quem está querendo entrar para a Congregação. “É um momento de alegria, lembrar que como nos arriscamos um dia, eles estão fazendo o mesmo caminho. Vão conhecendo a Congregação, é a certeza de que ela está se perpetuando. E completa: “Como parte da equipe me sinto um pouco responsável pelo processo de formação de outro jovem, olhando com carinho para a história de cada um”.

 

O jovem seminarista lembra com afeto dos momentos vividos até a fase em que se encontra.

- Sempre estava em contato com os padres, por participar de uma paróquia Redentorista. Mas o desejo de seguir a vocação religiosa falou alto quando participei de encontros da Juventude Redentorista e vi os seminaristas participando. No mesmo ano aconteceu uma Missão em minha comunidade e ganhei coragem para começar o acompanhamento.

Gleison destaca que na Santo Afonso cresceu muito como ser humano, principalmente com a convivência com os companheiros. Nesta fase, o jovem é inserido no Carisma Redentorista. Ele conta ainda que não se via fazendo Faculdade de Filosofia, pois chegou a começar Ciências Contábeis. Mas, o curso abriu seus horizontes: “É um curso questionador, me fez ver o mundo de forma diferente, como minhas ações refletem no mundo”. 

 

Da experiência na Comunidade São Clemente, o seminarista afirma ser uma dinâmica de mais abertura, que ajuda nas escolhas do caminho que quer seguir. De acordo com ele, os horários são montados em conjunto, a rotina muda conforme os formandos. Nesta etapa já têm início os trabalhos pastorais, que consistem no acompanhamento das comunidades da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Bairro Floresta (Juiz de Fora-MG), apoio à Juventude Missionária Redentorista da Paróquia da Glória e de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, além da Obra Social Padre Nilton Fagundes Hauck, também no Bairro Floresta e as Santas Missões.

 

“Crescer e florescer como gente na verdade, liberdade e responsabilidade”. O lema aprendido na Comunidade Vocacional Santo Afonso continua iluminando a caminhada dos seminaristas João Paulo da Silva, Rociny Fernandes dos Santos e Rubens Antônio do Couto Junior. Desde sábado, 3, eles desempenham importante trabalho de apoio para a realização do Estágio Vocacional Redentorista no Seminário da Floresta, em Juiz de Fora (MG). Realizam todo tipo de função, desde a preparação para as atividades do encontro até o acompanhamento com os jovens. Exatamente por serem jovens, acabam tendo um contato maior, pois os seminaristas talvez enxerguem neles uma real possibilidade para seguir adiante, conhecendo um pouco mais sobre a vida de um seminarista. Os três, agora, se preparam para vivenciar o Ano SPES (Síntese Pessoal de Experiências Substantivas), em Coronel Fabriciano (MG). Para eles, a experiência que se aproxima implica em responsabilidade, para que sejam os gestores de sua vida.

 

João Paulo tem 23 anos e nasceu em Casagrande, perto de Conselheiro Lafaiete (MG). Esteve durante um ano na Comunidade Vocacional São Clemente, considerando o período bastante positivo para aprofundar mais sua vocação através das experiências em missões e atividades pastorais, além da vida comunitária. Sua expectativa no Ano SPES é boa: “Será uma temporada para mergulhar na minha história e conhecer mais profundamente o meu eu”.

 

Também com 23 anos, Rociny nasceu em Pedro Leopoldo (MG) e passou três anos na Comunidade Vocacional São Clemente, formando-se em Filosofia pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Para ele, “foi um tempo de crescimento humano e espiritual, produto da reflexão filosófica, possibilitando maior visão e compreensão da realidade”. Conforme enfatizou, durante esses anos percebeu seu amadurecimento, aprendendo a “lidar com bastante responsabilidade dentro da liberdade na Congregação Redentorista”.

Para este ano, acredita que Fabriciano será a síntese de toda sua caminhada, quando fará estudos e reflexões através do curso, podendo olhar com mais concretude e mergulhar no seu íntimo e sendo o retrato de sua identidade.

 

Rubens, de 21 anos, nasceu em Nova Friburgo (RJ) e também passou três anos na São Clemente. A grande marca desse período foi a graduação em Filosofia pela UFJF, além da possibilidade de amadurecimento dentro da Comunidade Vocacional, onde recebeu afeto e conhecimento, traçando sua história a cada passo dentro da Congregação a partir do momento em que se trava um maior contato com a Província. Ele acredita que os nove meses que vivenciará em Coronel Fabriciano serão uma excelente oportunidade para aprofundar as perguntas e questões da Filosofia. “Este próximo passo será uma felicidade, um momento de pausa, específico de interiorização”, afirmou.

 

Veja mais fotos

 

Please reload

Destaque

Oração pelas Vocações Redentoristas

November 11, 2019

1/10
Please reload

Notícias recentes

Please reload

MÍDIAS SOCIAIS

 

Notícias

Acompanhe todas as notícias do Secretariado Vocacional Redentorista