25 anos de Ordenação Sacerdotal

 

No dia 12 de outubro de 2016, o Missionário Redentorista Pe. Nelson Antonio Linhares, C.Ss.R., atual Pároco da Igreja São José, em Belo Horizonte (MG) celebra suas Bodas de Prata Sacerdotais, na cidade de Rio Piracicaba (MG). Neste bate-papo, ele conta detalhes sobre sua caminhada, desafios e planos para o futuro.

 

- Província do Rio - Como foi a infância do menino Nelson Antonio? 
- Pe. Nelson - Nasci numa família humilde e muito batalhadora. Somos quatro filhos, sendo dois casais. Nasci em Sabará, porque era onde a parteira de minha mãe morava. Mas cresci numa outra cidade mineira, bem pequena, muito religiosa e acolhedora chamada Rio Piracicaba. Meus pais educaram os filhos com valores religiosos e humanos. Desde cedo, frequentei a catequese, tornei-me coroinha, cantei no coral das crianças. Mais tarde participei do grupo de adolescentes e da Sociedade São Vicente de Paulo (vicentinos). Além disso, lógico, estudava, brincava e convivia naquele ambiente. Desde cedo trabalhei com meu pai numa gráfica e com minha mãe numa papelaria, o que forjou um caráter de responsabilidade e compromisso.

- Como nasceu a vocação? 
- Em meio a tudo isso, pelo testemunho sobretudo da minha mãe, fui introduzido no mistério da fé e meu coração foi sendo tocado por uma experiência de Deus intensa. Alegrava-me participar da Eucaristia, ser Igreja e evangelizar. Fui sendo tomado por um ardor muito grande e... a vocação foi nascendo, sendo cultivada pouco a pouco. A Eucaristia e a caridade foram marcas importantes para minha motivação. 

- Como foi seu contato com os Redentoristas?
- Quando me formei no 1º grau, morava em minha cidade o Pe. José de Castro, um missionário redentorista que havia sofrido um acidente e estava num período de recuperação. Ele era deficiente físico e começou a ajudar o Pe. Levy na Paróquia São Miguel. Ao saber do meu desejo em ser padre, ele me convidou para participar de um estágio vocacional em Juiz de Fora. Imediatamente aceitei a proposta e segui rumo ao encontro, dando um passo concreto para realizar o meu desejo vocacional. Ao final deste estágio, em dezembro de 1980, fui aceito. Em 31 de janeiro de 1981 comecei meu caminho na Comunidade Vocacional Santo Afonso.

- Como foi o caminho de formação?
- De 1981 a 1983, estudei o 2º grau na CVSA, em Juiz de Fora, tendo como formadores os Pes. José Augusto e Dalton. De 1984 a 1986, estudei filosofia, em Juiz de Fora, na UFJF, tendo Pes. Cadete e Dalton como formadores na CVSC. O Noviciado eu fiz em Tietê/SP, em 1987, sob a direção do Mestre Pe. Afonso Paschote. Em 1988, emiti meus votos temporários na Igreja São José. Os estudos de teologia foram feitos no ISI (FAJE), em Belo Horizonte, morando no bairro Jaqueline, onde estava a CVDM, tendo como formadores os Pes. José Augusto e Antunes.

- E a ordenação sacerdotal?
- Fui ordenado Diácono por Dom Serafim Fernandes, no Bairro Jaqueline e morei, em 1991, na Igreja São José. No dia 12 de outubro, às 17h, fui ordenado sacerdote pelas mãos de Dom Lélis Lara, Bispo Redentorista emérito de Itabira/Coronel Fabriciano. Um dia muito importante e uma festa inesquecível!

- Como foi a sua caminhada sacerdotal?
- Minha 1ª paróquia foi Nossa Senhora das Neves, em Presidente Kennedy, no Espírito Santo, participando de uma equipe missionária com Pe. Oliveira e Pe. Waldo, (92/93). Depois, fui transferido para Coronel Fabriciano, em MG, como formador do SPES (Pré-Noviciado - 94 a 96). Como formador fui para Juiz de Fora, assumir a CVSA (aspirantado, 2º grau, 97 a 2002). Após esta experiência, trabalhei no Rio de Janeiro, na Paróquia Santo Afonso, como pároco e como vigário (2003 a 2008). Depois fui transferido para Campos dos Goytacazes, como reitor do Santuário N. Sra. do Perpétuo Socorro, (2009 a 2014). Atualmente, sou pároco na Igreja São José, no Centro de Belo Horizonte (2015 a 2018).


- Qual a sua avaliação desta longa caminhada?
- Lembro-me da música: “Penso que cumprir a vida seja simplesmente compreender a marcha, e ir tocando em frente”... Este itinerário de fé e paixão me ensinou a compreender a marcha da vida, das pessoas. Aprendi que é preciso “tocar em frente”, ou seja, seguir adiante, acreditar no futuro, caminhar com alegria e otimismo, enfrentar os desafios. Cair e levantar. Errar e amadurecer. Avalio como um processo de aprendizado, crescimento e amadurecimento humano e espiritual. Em cada comunidade em que vivi, seja com os confrades redentoristas, seja com os leigos e leigas, aprendi a conviver com as diferenças e respeitar as pessoas. Nunca esqueci que minha missão é anunciar o Evangelho com ardor. Com as pessoas que encontrei, pude compreender mais os dramas humanos. Portanto, foi uma caminhada muito positiva. 

- Cite um dos desafios enfrentados na missão sacerdotal.
- O grande desafio é acolher cada pessoa com seus sofrimentos e dores e ter uma palavra evangélica de vida e ânimo para partilhar, ajudando a resgatar a esperança onde ela não existe mais. Desafio de lidar com os dramas humanos pessoais e familiares, compreendendo cada pessoa e ajudando-a a perceber a presença de Deus.

- O que o senhor diz para quem deseja ser padre no mundo de hoje? O que seria fundamental para seguir essa vocação?
- Eu digo que vale a pena dedicar a vida ao anúncio da boa nova de Jesus como religioso ou sacerdote. O mundo que vivemos, com tantas inovações tecnológicas, descobertas científicas e novidades para o consumo, ainda não aprendeu a lição mais importante e simples de Jesus: AMAI-VOS UNS AOS OUTROS!!! Essa é a missão do sacerdote: lembrar ao mundo que só o amor realiza, liberta e traz a felicidade tão procurada. E... a fonte do amor é JESUS!
Para seguir essa vocação é fundamental abrir-se ao chamado de Deus, sendo disponível aos seus apelos. Ele continua chamando hoje, mas muitos corações jovens, fascinados pelos modismos mundanos, têm medo de responder e preferem se fechar ao chamado! Além dessa escuta, é necessário o acolhimento do povo, a profunda experiência de Deus, a alegria de ser consagrado “no lixo e no luxo” (como dizia um antigo formador meu!!!), ou seja, simplicidade de vida, humildade para colocar a missão acima da satisfação imediata das necessidades pessoais.

- Qual a mensagem para os internautas?
- Aprenda a viver o dia a dia sem deixar que a rotina dos afazeres traga o desânimo e a frieza na maneira de viver e se relacionar. Busque o reencantamento com a vida, o sentido de amanhecer a cada dia e seguir enfrentando os desafios. Faça uma experiência profunda do amor de Deus e deixe-se transformar por Ele. E, não tema a luta, porque é no enfrentamento do conflito que a vida acontece.

 

Fonte: www.provinciadorio.org.br

Please reload

Destaque

Música: Instrumento de Evangelização

November 22, 2019

1/10
Please reload

Notícias recentes

Please reload

MÍDIAS SOCIAIS

 

Notícias

Acompanhe todas as notícias do Secretariado Vocacional Redentorista