Entrevista: Fr. Rodrigo Costa, C.Ss.R.

 

O ano de 2018 será marcado por mudanças, novos projetos e experiências inéditas para o fr. Rodrigo Costa, C.Ss.R. Após concluir os estudos de Teologia, ele encerrou seu ciclo na Comunidade Vocacional Dom Muniz, em Belo Horizonte (MG), e, desde janeiro deste ano, o fráter integra a Comunidade Redentorista da Basílica de São Geraldo, em Curvelo (MG). No próximo mês, realizará seu estágio pastoral na África. Nessa entrevista, ele conta sobre as expectativas para essa nova fase em sua vida religiosa.

 

 

Província do Rio - Como você avalia sua passagem pela Comunidade Vocacional Dom Muniz?

Fr. Rodrigo, C.Ss.R. - Permaneci na Comunidade Vocacional Dom Muniz (CVDM) por três anos (2015-2017). Tempo em que pude me dedicar ao estudo da Teologia, na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE). Nesse período, pude beber da rica tradição teológica da Igreja, bem como dar os primeiros passos como religioso consagrado redentorista. A vida comunitária, a partilha com os junioristas das demais Províncias enriqueceram muito a minha caminhada nesse tempo. Também vivi experiências significativas no campo da pastoral, como a colaboração na Pastoral da Mulher e na Paróquia São Geraldo, ambas em Belo Horizonte. Posso dizer que o período vivido na CVDM permitiu-me consolidar os ganhos do caminho formativo, e me fez sentir realmente parte do corpo missionário redentorista, especificamente na Província do Rio.

 

Província do Rio - Como tem sido sua convivência junto à Comunidade Redentorista de Curvelo e de que forma você está integrado aos trabalhos pastorais na Basílica de São Geraldo?

Fr. Rodrigo, C.Ss.R. - Ingressar numa comunidade religiosa ativa depois de uma década vivida nas casas de formação exige um processo de readaptação e reconfiguração do cotidiano. A Comunidade Redentorista de Curvelo está me ajudando muito nessa passagem. A convivência com os confrades idosos e mais novos tem me possibilitado conhecer a beleza e os desafios da vida em comunidade, com tudo aquilo que compõe a sua trama. Saber que “para os Redentoristas é lei essencial de sua vida: viver em comunidade e por meio da comunidade realizar o trabalho apostólico”, conforme ensina a Constituição 21, é um motivo de grande alegria, pois somos convidados a viver a vida comunitária como um dom confiado a nós para possibilitar-nos viver nossa consagração, bem como nos impulsiona ao desafio de ser-fazer comunidade, já que nada está pronto. 

Quanto aos trabalhos pastorais, aos poucos vou me integrando na realidade da Basílica de São Geraldo, participando das celebrações, acolhendo as pessoas, acompanhando grupos, e preparando-me para dois pequenos cursos de formação, destinado aos agentes de pastoral, que irei coordenar em breve.

 

Província do Rio - Em março, você irá assessorar um curso sobre o Evangelho de São Marcos na Basílica. Conte-nos sobre esse projeto!

Fr. Rodrigo, C.Ss.R. - Trata-se de um modo de desenvolver o trabalho pastoral na Basílica, colocando em prática os saberes adquiridos no curso de Teologia. Penso que é importante possibilitar ao povo de Deus um acesso mais familiar e aprofundado sobre a Palavra de Deus, que é alimento e guia na caminhada cristã. Nesse sentido, o curso visa fazer uma introdução ao Evangelho de São Marcos, que é o evangelista deste ano litúrgico (Ano B), dando às pessoas algumas pistas de leitura do Evangelho e permitindo que elas continuem buscando e aprofundando o tesouro da Palavra de Deus no cotidiano.

 

Província do Rio - Quais são suas expectativas para o estágio pastoral na África? Como será sua experiência missionária por lá?

Fr. Rodrigo, C.Ss.R. - A partir do mês de abril, estarei realizando o estágio pastoral na Paróquia Nossa Senhora das Graças, localizada no bairro de Xipamanine, em Maputo, capital de Moçambique. Penso que será uma experiência única de contato com outra cultura, outro modo de viver a fé cristã, outra compreensão do mundo. Vou com o coração cheio de esperança, como hóspede na casa do outro. Espero que eu possa contribuir um pouco com a missão e aprender com esta experiência. Está previsto além do trabalho pastoral em Xipamanine, a participação numa missão em Inhambane e o contato com outras comunidades, como a de Furacungo, na Província de Tete, norte do país. Esse estágio pastoral após o estudo da Teologia é uma exigência do processo formativo redentorista. Recentemente, o Governo Geral da Congregação mudou o tempo de estágio, que agora é de 1 ano, e estendeu sua obrigatoriedade para toda Congregação. Também sugeriu que esse estágio seja feito fora da unidade de origem do formando, de preferência em outro país. Anteriormente, os junioristas da Província do Rio faziam esse estágio na Colômbia. Portanto, será uma experiência nova para mim e também para o nosso processo formativo. 

 

Província do Rio - Deixe um recado para os jovens que também desejam ser Missionários Redentoristas e estão em processo de discernimento vocacional.

Fr. Rodrigo, C.Ss.R. - Aos jovens que por acaso estão lendo essas linhas e que estão em processo de discernimento vocacional, desejo que continuem se lançando na descoberta da vocação e que não tenham medo de seguir em frente. A vida religiosa consagrada redentorista é um caminho muito bonito, no qual podemos ser felizes e nos realizar! Penso que aqui vale muito o conselho de São Paulo: “Quem vos chamou é fiel, é ele que agirá” (1Ts 5,24). Portanto, avante em sua caminhada vocacional!

 

Fonte: www.provinciadorio.org.br

Please reload

Destaque

Música: Instrumento de Evangelização

November 22, 2019

1/10
Please reload

Notícias recentes

Please reload

MÍDIAS SOCIAIS

 

Notícias

Acompanhe todas as notícias do Secretariado Vocacional Redentorista